segunda-feira, 27 de outubro de 2008

I Ching - Hexagrama 52 - KEN



I Ching - Hexagrama 52 - KEN - A Quietude (Montanha)


Quietude significa aquietar o "pensamento" do coração. No I Ching, diz-se que o coração pensa quando nossas emoções são espicaçadas. O coração infantil pensa em termos de carências e necessidades, bem como naquilo que detesta e quer evitar. Ele também pensa na defesa de quaisquer pretensões que possamos ter adotado; desta maneira, é também o pensamento egoísta da vaidade, do orgulho. Ele mede constantemente a direção e o ritmo dos eventos, para verificar se seus objetivos estão sendo favorecidos. A finalidade da "quietude" é aquietar esta frenética e concentrada atividade mental.

Se nos desligássemos por tempo suficiente para ver tais pensamentos com objetividade, perceberíamos que nascem dos medos do eu físico, alguns deles conscientes, outros inconscientes. O I Ching reconhece tais pensamentos como as vozes "dos inferiores". (...) Quietude também simboliza a maneira de meditar do I Ching, que requer da pessoa um estado de vazio interior, um esvaziamento sistemático das vozes ruidosas dos inferiores. (...)

Para o estudante sério do I Ching, a prática diária da meditação é essencial. Através da meditação, executamos a purificação interior que nos devolve a pureza e inocência; liberados de pensamentos que geram inquietação e surdez interior, voltamos a ficar alertas e atentos interiormente, o que nos permite interagir com os outros de modo criativo. Ao nos libertarmos das preocupações dos inferiores, limpamos nossa casa interior. Da mesma forma como nossa casa exterior fica suja por vivermos nela, nosso espaço mental interior fica atravancado com preocupações alheias e desnecessárias. Estas podem consistir de sistemas de crença, preocupações, fantasias e falsas idéias, que nos impedem a obtenção da paz e harmonia interiores. A limpeza interior implica que há um desligamento do mundo e de suas preocupações preponderantes, um desligamento em relação ao sistemas de crença. Afastamo-nos também de raivas e hostilidades antigas e qualquer ressentimento por injúrias recebidas de outras pessoas; rejeitamos todas as filosofias de negação, as simpatias e antipatias triviais. (...) Desta maneira, ficamos livres da enorme carga que significa levarmos conosco todo esse lixo mental.

(fonte: Carol K. Anthony. O Guia do I Ching. Tradução de Luísa Ibañez. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1990, p. 301-304)
(fonte da imagem: www.flickr.com/photos/vidadedevidro)

***

Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele e ele tudo fará. Salmo 37;5.

Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça e todas as demais coisas vos serão acrescentadas. Mateus 6;33.

2 comentários:

Paula Fernandes disse...

Oiê!
Adorei seu post sobre A montanha do I Ching. Colei no meu. Dei a fonte!
Vá ver, será um prazer receber sua visita!"
Prazer, bjo.
paulafernandesterapias.blogspot.com.br

Lucilene disse...

Gostei desta postagem, não somente porque sou convictamente fã do I Ching, mas principalmente porque voce conseguiu transmitir a luz, a energia da mensagem. Lendo-a, me emocionei, ao concluir a leitura me senti relaxada, unificada e repousada. Obrigada!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...